fbpx

Estresse e cortisol: entenda a relação e os prejuízos para a saúde

Um dos hormônios mais conhecidos, o cortisol, regula diversas funções no organismo. Da mesma forma, ele está relacionado com o bem-estar das pessoas. Explicamos, para entender o que é cortisol, também é preciso conhecer o que é o estresse. Como veremos, o cortisol desempenha um papel essencial no humor, disposição e demais estímulos.

O QUE É CORTISOL?

Produzido pelas glândulas suprarrenais, o cortisol é uma substância liberada em momentos de estresse. Esse é um mecanismo de defesa, pois antigamente servia como um modo de sobrevivência. O estado de alerta era fundamental para ativar o organismo e atuar em situações de perigo. O mesmo serve para os sintomas da ansiedade, reação natural ao estresse.

Sendo assim, podemos dizer que a liberação do hormônio ajuda a controlar o estresse. Embora seja visto em muitos casos como algo negativo, o estresse pode e deve ser controlado. Assim, é possível ter mais qualidade de vida. Aliás, reconhecer os estímulos que causam o estresse é fundamental para se cuidar.

Além disso, a pergunta sobre o que é cortisol também traz outras respostas. Ele reduz inflamações, mantém os níveis de açúcar no sangue estáveis, ajuda no funcionamento do sistema imunológico e contra a pressão arterial. Ou seja, um hormônio com diversas funções para nosso corpo.

EFEITOS DO CORTISOL NO CORPO

A alta quantidade de produção do hormônio, assim como a baixa presença do cortisol podem causar disfunções no corpo. No entanto, é normal que a quantidade de cortisol varie durante o dia. Logo de manhã é o período que os níveis de cortisol são mais altos: 8,7 a 22 µg/dL, e à noite, o nível cai para menos de 10 µg/dL. 

Porém, é preciso fazer o teste para verificar a dosagem de cortisol no sangue. Assim, poderá ser possível identificar alguma doença e tratá-las rapidamente. 

QUANDO O CORTISOL ESTÁ ALTO

Três situações podem elevar os níveis do hormônio, o aumento da produção devido ao contínuo estresse, a presença de um tumor ou o consumo de corticóides a mais de 15 dias. Dessa forma, podem se originar os seguintes sintomas:

  • Aumento de peso;
  • perda de massa muscular;
  • baixo crescimento;
  • aumento do risco de osteoporose;
  • dificuldades no aprendizado;
  • cognição com falhas (perda de memória);
  • menstruação irregular;
  • aumento da sede e nas idas ao banheiro para urinar;
  • diminuição da libido sexual.

Outra indicação pode ser a Síndrome de Cushing, com aumento rápido no peso, presença de gordura abdominal, pele oleosa e queda de cabelo. Por isso, é preciso sempre realizar os testes de rotina com um médico para garantir que tudo está em ordem.

QUANDO O CORTISOL ESTÁ BAIXO

A baixa produção de cortisol também traz prejuízos para o corpo. Essa condição também é chamada de hipoadrenalismo primário e as causas podem ser depressão crônica, inflamação, tumor ou alguma infecção. Como resultado, a pessoa experimenta sintomas como:

  • Dor nos músculos e articulações;
  • falta de apetitie;
  • fadiga e falta de disposição;
  • hipoglicemia;
  • anemia e infecções se tornam constantes;
  • pressão baixa;
  • febre baixa.

Sendo assim, a consulta ao médico para a realização de exames é sempre a melhor escolha. Nem sempre a alteração nos níveis de cortisol indicam a existência de uma doença, mas o ideal é identificar as causas e receber o tratamento adequado.

Gostou do nosso artigo? Então deixe seu comentário! 

Referências: Tua Saúde, Menthes e Minha Vida

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.